O melhor remédio caseiro para eliminar as bolinhas brancas que aparecem nas amígdalas

Sabe aquelas bolinhas esbranquiçadas que aparecem nas amígdalas?
Elas são chamadas de tonsiólitos, cáseos amigdalianos ou pedras na amígdala e se desenvolvem quando bactérias, muco, células mortas ou até mesmo restos de alimentos começam a se acumular na região.

Elas podem ser brancas ou amareladas, com uma textura bem macia.

Essas pedras causam um terrível mau hálito, além de irritação na garganta e dificuldade para deglutir.

Também contribuem para o problema: – Amígdalas muito grandes, – Má higiene bucal, – Excesso de consumo de açúcar e laticínios

Para o tratamento, é necessário uma tonsilectomia, ou seja, a remoção cirúrgica das amígdalas.

O problema é que, quando tiramos as amígdalas, enfraquecemos o nosso sistema imunológico, muito importante para evitar problemas com bactérias e vírus no corpo.

Como alternativa menos agressiva que a cirurgia, existe um tratamento natural muito eficiente.

Veja: INGREDIENTES: 1 colher (chá ) de sal, Meia colher (sopa) de bicarbonato de sódio, Meio limão fresco, 1 copo de água

MODO DE PREPARO: Esprema o limão para extrair o suco. Aqueça levemente a água. Em seguida, adicione o suco de limão, o sal e o bicarbonato de sódio.

Misture bem os ingredientes. Feito isso, faça um gargarejo com essa mistura. Repita o procedimento duas vezes por dia.

Isso vai expulsar todos os resíduos acumulados nas amígdalas, além de desinfetar a garganta, graças às propriedades dos ingredientes.

Esse tratamento natural é econômico, simples e extremamente eficaz. Teste! Importante!

Hipertensos devem usar, no lugar do sal comum, o sal rosa do Himalaia ou outro tipo de sal integral.

O que é Amigdalite?
A amigdalite é a inflamação com inchaço nas amígdalas. Amígdalas são uma espécie de gânglios linfáticos localizados na parte lateral da garganta e na parte de trás da boca. Elas ajudam a manter bactérias e outros germes longe de locais em que possam causar infecções.

Os sintomas da amigdalite são mais comuns no inverno, época em que o ar seco e aglomeração maior de pessoas em ambientes fechados facilitam a entrada de vírus e bactérias pelas vias aéreas. (4,5,6)

Tipos: O tipo de amigdalite depende da forma de como ela é contraída. Os principais tipos são: (1)

Amigdalite bacteriana
Causada pela infecção de bactérias, a manifestação mais comum dessa forma da doença é a amigdalite estreptocócica é causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, mais conhecida como estreptococo do grupo A. As amigdalites bacterianas exigem um tratamento mais específico, com antibióticos.

Amigdalite viral
A amigdalite viral é o tipo mais comum, sendo causada pela infecção de vírus nas amígdalas. Para essa manifestação da doença, o tratamento pode ser feito em casa à base de medicamentos e cuidados simples.

Além disso, existem dois subtipos de amigdalite que são:

Amigdalite crônica
A amigdalite crônica são infecções recorrentes, causando dor de garganta crônica, mau hálito e nódulos cervicais persistentes. Neste tipo, podem acontecer até sete episódios de amigdalite em um ano.

Amigdalite aguda
Apesar do tratamento, a amigdalite aguda durar até duas semanas ou mais. A amigdalite aguda causa a obstrução das vias aéreas devido a amígdalas inchadas, ocasionando na dificuldades na respiração, ronco e apneia do sono.

Causas
Amigdalite é geralmente causada por vírus, mas também pode haver infecção bacteriana.

A bactéria mais comum entre as causas de amigdalite é a Streptococcus pyogenes, mais conhecida como estreptococo do grupo A, também responsável por outras condições, a exemplo da faringite.

Outras bactérias também podem estar envolvidas no desenvolvimento da doença, como a associação de bactérias anaeróbias (angina de Vincent), Neisseria gonorrhoeae, Mycoplasma pneumoniae, Chlamydia pneumoniae e Corynebacterium diphtheriae. (2)

Por que as amígdalas são infectadas?
As amígdalas são a primeira barreira de defesa do sistema imunológico contra bactérias e vírus que entram na sua boca. Esta função pode tornar as amígdalas particularmente vulneráveis ??a infecções e inflamações. No entanto, a função do sistema imunológico da amígdala diminui após a puberdade – um fator que pode explicar os raros casos de amigdalite em adultos. (3)

Fatores de risco
Alguns fatores são considerados de risco para o desenvolvimento de amigdalite. Confira:

Idade: pessoas mais jovens costumam ter mais chances de apresentar a doença do que pessoas mais velhas. Geralmente, amigdalite aparece em crianças e pré-adolescentes.
Exposição a vírus e bactérias também pode levar à amigdalite, especialmente em crianças que frequentem creches e escolas.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.