Mais de 104 milhões de pessoas tiveram o Auxílio Emergencial negado.

O numero de pessoas que tentaram obter o auxilio emergencial de R$600 liberado pelo governo federal tiveram o pedido negado, cerca de 104,1 milhões.

De acordo com o banco da Caixa Econômica Federal, estão neste grupo, aqueles que não tem direito porque não estão no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal, desinformação aos critérios exigidos e ainda tem aqueles que fraudaram a solicitação.

Os cadastros são analisados pelo órgão da Dataprev, que é uma empresa de tecnologia e que esta ligada ao Ministério da Cidadania, cujo também é responsável pela liberação do beneficio. Ambos obtém o apoio do Banco do Brasil.

De acordo com o governo federal, muitas pessoas vem tentando fraudar a solicitação do auxilio emergencial, ou ate mesmo tirar proveito da situação em que o país se encontra. A Policia Federal e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), já conseguiram mapear quem busca se aproveitar.

Cerca de 135,6 milhões de mensagens para a confirmação do cadastro foram enviadas para o celular daqueles que se inscreveram. Porem, a Caixa informou que 31,5 milhões apenas concluíram o cadastro.

Isso conclui que a diferença entre a quantidade de pessoas que foram aceitas, para a quantidade de pessoas que receberam a mensagem com o numero de verificação pelo celular, cujo informa a confirmação do cadastro, mostra a quantidade de pessoas que não tem direito e não irão receber o auxilio emergencial de R$600.

Esse auxilio foi criado pelo governo federal para as pessoas que não podem trabalhar, que não tem como, para aqueles que estão desempregados, as mães de família, quem possui uma renda informal, microempreendedores, para ajudar essas pessoas em meio a esta crise que o novo coronavírus trouxe ao país.

Somente atendendo a esses critérios, as pessoas conseguirão se beneficiar dessa ajuda do governo. Aqueles que receberem aposentadoria, pensão, seguro desemprego ou ser beneficiário de outra ajuda do governo, exceto o bolsa família, não poderão participar do programa.